fbpx

Coelho Neto

Início Coelho Neto Página 2

Antonio Abreu e Neto Simões zeraram a falta de iluminação pública em quatro áreas de Coelho Neto

0

O secretário de infraestrutura e engenheiro civil, Antonio Abreu, já demonstra habilidade e rapidez para gerar mudanças visíveis na infraestrura e urbanismo de Coelho Neto. Sob a pressão da constante ocorrência de demandas (problemas) no município, Abreu aos poucos vai conseguindo encontrar um ponto de equilíbrio capaz de criar notabilidade aos olhos da população.

Apesar das dificuldades impostas pelas limitações que todo setor público carrega consigo, de espaço em espaço, Abreu vai ficando confortável para agir em várias frentes ao mesmo tempo. Minimizar o máximo de problemas por vez é uma afirmação que o secretario obtém através do trabalho duro de uma equipe dedicada e motivada por ele mesmo diariamente.

Antonio Abreu, supervisão da produção de concreto para o piso da praça Vicente Correia Lima

Neto Simões, que faz parte da equipe da secretaria no cargo de Secretário Adjunto, atua forte no projeto Prefeitura na Comunidade. Seus resultados podem ser vistos na primeira edição do projeto na zona urbana, ocorrida no final de semana que passou nos bairros: Anil, Anil II e Parque Amazonas. Nesses três bairros, as demandas de iluminação pública foram completamente zeradas, somando-se agora à Avenida Santana como as primeiras quatro áreas urbanas 100% iluminadas de Coelho Neto.

Secretário Abreu e Secretário Adjunto Neto Simões – Supervisão da revitalização da Praça Vicente Correia Lima

Depois de algumas adequações na linha de enfrentamento dos problemas, os dois secretários criaram o ambiente que possibilitou a retomada de trabalhos como o da Praça Vicente Correia Lima. Sob supervisão in loco dos dois chefes de secretaria, os trabalhos seguem em ritmo acelerado, quem passa pelo local pode acompanhar isso de perto.

No vídeo abaixo, o secretário Antonio Abreu diz qual será a data de entrega da praça totalmente revitalizada, assista.

Secretario de Infraestrutura, Antonio Abreu

Fim das coligações para proporcional deve esvaziar partidos

0
urna eletrônica. Foto: Nelson Jr./ ASICS/TSE

O Congresso Nacional, mais uma vez, ao inovar nas regras eleitorais, escolhe, como laboratório de sua experiências, para não dizer cobaias, as eleições municipais. A começar pela vedação de coligações nas chapas proporcionais, o que forçará cada partido a, em suas próprias fileiras, atingir o coeficiente eleitoral.

Não resta dúvidas de que essa medida visa fortalecer as agremiações partidárias mais pujantes em detrimento das siglas de médio e pequeno portes. A alteração cuja finalidade é diminuir a quantidade exagerada de partidos políticos no cenário nacional. A tendência, com a permanência dessa regra, é que os candidatos escolham partidos com os quais se identifiquem do ponto de vista filosófico e programático, e não apenas por uma questão de pragmatismo eleitoral, ou seja, uma escolha guiada unicamente pela facilidade de obter ou não sucesso na disputa.

Em relação às chamadas ‘alianças brancas’, não terão sentido, porque, para as eleições proporcionais, os votos não se comunicam, de tal maneira que os votos obtidos pelo partido X não terão importância para eleger candidatos do partido Y.

Com cada um no seu quadrado, esforçando-se ao máximo para superar ou chegar o mais próximo possível do coeficiente, não se desprezam mais os votos de quem não atingiu o coeficiente, como ocorria no passado recente. Esses são muito importantes dentro do partido.

Eleitor vai identificar melhor o destino do voto

Nesse cenário conturbado da política brasileira, surgiu a Emenda Constitucional 97/2017, com um claro intento de acabar com esta famigerada prática, não mais permitindo que a votação expressiva de um candidato faça eleger outros do grupo de partidos que se uniram a ele somente para obter um melhor desempenho eleitoral graças a puxadores de votos.

O fim das coligações proporcionais é a maior mudança qualitativa recente do sistema eleitoral. Vai permitir, também, que o eleitor identifique melhor o destino de seu voto e evita as tradicionais uniões partidárias de ocasião. Criadas na década de 50, vedadas durante o período do regime militar e retomadas com o processo de redemocratização, as Coligações foram uma das responsáveis pela descaracterização dos partidos políticos, unindo em sopa de letrinhas visões políticas distintas. Se votava num comunista e podia-se eleger um democrata.

Janela partidária

Somente a partir de abril de 2020 é que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá abrir uma janela para que vereadores no exercício do cargo possam trocar de partido sem perda do mandato. O período, denominado “janela partidária” é de 30 dias. A “janela partidária” é aberta apenas em ano eleitoral. No caso, em 2020, quando ocorrerão as eleições municipais para escolha de novo prefeito e novos vereadores.

A Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015), no entanto, incorporou à legislação uma possibilidade para a desfiliação partidária injustificada no inciso III do artigo 22-A da Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/1995). Segundo esse dispositivo, os detentores de mandato eletivo em cargos proporcionais podem trocar de legenda nos 30 dias anteriores ao último dia do prazo para a filiação partidária, que ocorre seis meses antes do pleito.

No entanto, a troca partidária não muda a distribuição do Fundo Partidário (art. 41-A, parágrafo único, da Lei nº 9.096) e do acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão (art. 47, § 7º, da Lei nº 9.504/1997).

Esse cálculo é proporcional ao número de deputados federais de cada legenda. A única exceção a essa regra é para o caso de deputados que migrem para uma legenda recém-criada, dentro do prazo de 30 dias contados a partir do registro na Justiça Eleitoral, e nela permanecendo até a data da convenção partidária para as eleições subsequentes.

Em 2020, aquele que não tiver grupo na política estará fadado ao insucesso. Na outra ponta, ir para grupos onde o candidato majoritário possui imagem desgastada, baixa confiança política e rejeição considerável, será participar do lado mais fraco de votos. Por fim, o segredo estará na renovação dos critérios para escolher o grupo político ideal para compor as candidaturas.

Fonte: texto com adaptação, portal correio.

PARA CIMA / PARA BAIXO

PARA CIMA

ILUMINAÇÃO DE LED: A implantação de luminárias de LEDs no sistema de iluminação pública rendeu muitos elogios à secretária de Infraestrtutura e urbanisno de Coelho Neto. A transformação do ambiente foi imediato.

LOJA AMERICANAS: Um novo empreendimento está prestes a ser iniciado em Coelho Neto e junto com ele, o surgimentos de novas oportunidades de empregos e concorrência de preços. Aos interessados nas vagas, acesse o site da Americanas.com.br e cadastre o seu currículo.

PARA BAIXO

ATAQUES PESSOAIS: Mais conhecido pelas polêmicas do que por algum trabalho prestado, um ex-vereador de Coelho Neto utilizou-se das redes sociais para atacar a presença do casal Bacelar em Coelho Neto. A ex-prefeita Márcia Bacelar não achou nada legal os ataques gratuitos, ainda mais dispensados por quem ela escolheu para fazer parte da sua gestão quando esteve a frente do executivo municipal.

“Deus vai cobrar de quem é a favor do Comunismo”. Vereador Moabe Branco anda mais confuso do que nunca

O vereador Moabe Branco (PSD), postou um vídeo pedindo desculpas a todos aqueles que o elegeram vereança. Ele também criticou o novo decreto municipal, confundiu “comunismo” com apoio às novas medidas sanitárias, e disse que Deus cobrará por isso.

O vereador Moabe Branco, por duas vezes esteve na base aliada do governo Américo de Sousa (PT). Durante esse entra e saí confuso, e enquanto governo, se posicionou totalmente a favor do que ele descreve erroneamente de “COMUNISMO“. O ponto alto do vídeo ocorreu quando ele assumiu sua incapacidade política como vereador, pedindo desculpas a todos que votaram nele.

O COMUNISMO NÃO EXISTE

Moabe é daqueles que demoniza a palavra “comunismo”, sem saber que esse tal demônio que ele tanto fala em seus discursos entrou em colapso e deixou de existir na década de 80 com a Queda do Muro de Berlim.

Queda do Muro de Berlim em 1989

Comunismo é uma ideologia política e socioeconômica, que pretendia promover uma sociedade igualitária, sem classes sociais e “apátrida”, baseada na “propriedade comum dos meios de produção”.

Para existir o comunismo em um determinado país, é necessário que tal país elimine a propriedade privada dos meios de produção. Ou seja, o governo deve nacionalizar (como os americanos dizem) ou estatizar (como os europeus e nós dizemos) as fábricas, fazendas, grandes empresas etc.

Nem mesmo a Venezuela ou a China é comunista, existem empresas privadas e o livre comércio lá. Já a Coreia do Norte existe uma ditadura, e ditadura existe em governo de esquerda e de direita, aliás, deixa eu me calar aqui…

NÃO É COMUNISMO

Os governos e partidos de esquerda atuais são social-democratas, até mesmo o PCdoB (Partido Comunista do Brasil) é social-democrata, e olha que ele tem o comunismo no nome.

A palavra comunismo hoje é muito utilizada nos discursos de ódio contra governos e partidos de esquerda, só um ridículo desescolarizado pode ver, portanto, no Brasil atual, algum “comunismo” ou alguma “ideia de comunistas”.

Por favor, não passe vexame por aí, repetindo bobagens que acabaram após a Guerra Fria, não passe vergonha, combinado?

E que bom que, Deus não vai cobrar o que não existe em Coelho Neto, nem no mundo.

Adepto do mesmo negacionismo bolsonarista que tem colocado o Brasil na ponta mais alta dos índices de mortos e infectados por covid19 no mundo. Parecendo estar ainda mais confuso do que nunca, Moabe mesclou no discurso gravado em vídeo medidas sanitárias com ideologia politica extinta a mais de 30 anos.

O assunto é polêmico, mas trata-se de apontamento de caminhos sobre nossa economia e saúde pública, nunca de ideologia política e politicagem, Talkey (TÁ OK)

Doutor Sampaio: Surgindo no caminho inverso da política partidária

0
doutor-sampaio

O médico cirurgião José Sampaio é um profissional da saúde muito querido nas comunidades que ele atua. Seu carisma, ética, apreço por suas amizades e pé no chão o fazem um bom nome até para a política. Apesar de nunca ter se manifestado sobre ser ou não candidato, algumas pesquisas de consumo interno já o apontam com algum consenso entre os eleitores coelhonetenses.

DE FORA PARA DENTRO

Um bom nome na política sempre vai surgir a partir da observação popular. Tudo começa ante a análise das características notórias de um individuo, em seguida mede-se o quanto esse tem um intenso e verdadeiro sentimento por aquilo que faz. Estas são as principais características de um político, e é isto que tem feito a diferença hoje em dia.

Assim é o Doutor Sampaio, que ama muito atuar como gestor de clínica e médico.

Sem se impor candidato ou nascer de algum grupo político curraliense que seja, Sampaio segue pelo caminho inverso da política dita habitual. Enquanto candidatos estão nascendo dentro de grupos políticos partidários para só depois serem apresentados aos eleitores, o médico cirurgião foi apontado em pesquisas de intenção de votos por pessoas apartidárias.

Sob a conjuntura de nunca ter feito alguma manifestação pública sobre ser candidato em 2020 e também por atualmente não ser filiado em nenhum partido político, ser apontado justamente pelo consenso popular vislumbra um sentimento do povo por novas lideranças políticas no município.

Pesquisa de Intenção de Votos – Instituto Maranhão Pesquisa

NOME DECOLÁVEL

Simplesmente aparecer numa pesquisa de intenções de votos é algo que pode edificar a candidatura de qualquer que seja o nome, nada é impossível.

Vejamos um exemplo: o atual governador do Estado de Minas Gerais Romeu Zema do (Novo 30), foi apontado com apenas 4% das intenções de votos nas pesquisas iniciais, e isso após ele ter se declarado candidato ao governo mineiro. No final, assim que teve as suas características reconhecidas pelo povo mineiro Zema venceu as eleições, com quase 72% dos votos válidos.

Doutor Sampaio tem nome leve, pois não possui vínculo com os repetidos nomes da nossa política. Ao mesmo tempo que reúne algumas das características pessoais e profissionais que chamam a atenção dos eleitores, o médico é muito pé no chão em se tratando de ser ou não candidato.

O que nos resta saber agora é: se o médico vai se manifestar sobre esses números com pretensão declarada ou posicionamento político de fato.

Endurecimento das regras: Prefeito Américo visa proibir venda de bebida alcoólica em Coelho Neto

1

O prefeito Américo de Sousa (PT), usou a TV local nesse 1º de maio para manifestar um endurecimento nas ações de controle da disseminação dos casos de covid 19 em Coelho Neto. Uma das regras citada por ele será a proibição da venda de bebidas alcoólicas, inclusive proibindo a entrada de distribuidores de bebidas no município.

Após anunciar mais dois novos casos confirmados de COVID-19 no município, o prefeito municipal se disse obrigado a endurecer as regras para barrar a disseminação da infecção. Bastante aborrecido, ele explicou que alguns dos primeiros contágios ocorreram em um dos vários estabelecimentos desautorizados a funcionar durante o estado de calamidade, um bar.

“Nota-se que diversos bares pela cidade não seguem a determinação legal do decreto estadual que suspende suas atividades, e que populares estão comprando bebidas e aglomerando pessoas para fazer o consumo em suas residências”, disse Américo para justificar a medida anunciada por ele.

Durante a entrevista, também foi anunciado que a vigilância sanitária vai aumentar a fiscalização nos estabelecimentos com atividades não suspensas para que esses cumpram as regras do uso de máscaras, distanciamento e quantidade de pessoas dentro do estabelecimento. Todos os outros que constam como suspenso durante o estado de calamidade pública serão devidamente fechados.

RESPEITE O ISOLAMENTO, FIQUE EM CASA.

Américo perde três aliados na Câmara. Falta de dialogo e inabilidade política são as causas.

0

Na sessão plenária dessa segunda-feira (17) na Câmara Municipal de Coelho Neto pelo menos três vereanças anunciaram suas saídas da base do governo Américo de Sousa (PT). Nessa altura do campeonato, um golpe na imagem do governo e a simples demonstração que Américo de Sousa não cumpre promessas, não dialoga e nem tem habilidade para obedecer as regras do jogo político.

O vereador João Paulo e Reginaldo Jansen ex-líder de governo (Cará) ambos do (MDB) anunciaram juntos o rompimento com o governo Américo de Sousa. A partir de agora eles não darão apoio à base aliada petista na Câmara e retornam de onde saíram para apoiar o MENINO DO SOLINEY.

O outro vereador que deixou de ser da base aliada do governo na Câmara foi Moabe Branco (PSDB), sensatamente esse só apontou o caminho majoritário que não irá seguir. Apesar da opção de poder apoiar o Menino do Soliney, como os demais separatista, Moabe exita em ir para o grupo dominado pelo pai desse.

Falta de diálogo

Américo pouco dialogava com a Casa e seguia seu estilo vertical (de cima para baixo) de determinação política. Nem mesmo quando era contatado de baixo para cima, ilustrado aqui seu estilo, ele chegava a atender as ligações do atual presidente da Câmara Municipal, Marcos Tourinho (PDT).

Foram rara as vezes que o prefeito visitou a Câmara, se algum vereador quisesse tratar alguma demanda com Américo o caminho sempre começava e terminava no gabinete do executivo municipal, nunca o contrário.

Inabilidade Política

A inabilidade Política do prefeito Américo fica exposta no momento em que se compara a quantidade de lideranças e apoiadores que estiveram com ele em 2016 e ainda permanecem ao seu lado. A lista incluí, Josué Viana, Cristiane Bacelar, Antonio Pires e Lisa Pires como alguns dos nomes mais conhecidos.

Américo joga xadrez sem obedecer às regras do jogo. Existe uma lógica de que o vereador ao se tornar base aliada possa indicar cargos políticos que sustentem seu capital político, é só política não há como fugir disso. Por exemplo, qual dos vereadores indicaram cargos nas escolas para secretário, coordenador ou diretor?

O cenário político de reeleição de Américo de Sousa se desenha como o pior possível, sabe-se que esse é só o começo de uma debandada de apoios que seu governo sofrerá na Câmara Municipal. Aos poucos fica evidente qual será o lado mais arriscado para a classe política investir apoio.

Com esse cenário e os índices de rejeição do governo, não seria ruim reconsiderar a ideia de gastar energia e tempo para ser: “o candidato já derrotado de 2020“.

O quê significa a volta de Moabe Branco para base do governo Américo no legislativo

Sem dúvida o cargo de prefeito é poderoso, mas nenhum pode prescindir de ótimas relações com o Legislativo. Ontem dia 07 (quarta-feira), uma foto onde posam sorridentes o prefeito Américo de Sousa (PT) e o vereador Moabe Branco (PSD), retrataram as boas relações entre os dois poderes e ainda que Américo encaixou o papel natural de líder nas eleições que se aproximam.

É cedo para afirmar com cem por cento de certeza que o programa social, Prefeitura na Comunidade já repercutiu no meio político. Porém, é fato que de repente todos os representantes da política em Coelho Neto já não olham como antes para o governo petista, nem deviam. Em comparação a oposição, Américo tem hoje nas mãos a maior fatia já formada de eleitores, notoriedade política, trabalho desenvolvido e muita capacidade para motivar opinião pública, eleitores e lideranças políticas.

Vereador Moabe, sorridente no encontro com o Prefeito Américo

Na oposição, até agora não há ninguém com capacidade de aglomerar lideranças e sobrepujar a força do governo que vai tentar reeleição. Por tanto, a imagem fotografada de um vereador sorridente por estar de volta à base do Governo Américo, mostra quem será o maior poder de atração de lideranças políticas e votos nas eleições de 2020, não tem como duvidar disso.

CONVOCAÇÃO: SINPACEL ABRE EDITAL PARA ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA

0

O Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel – SINPACEL, Mariano Crateús Filho, convoca esses trabalhadores para uma assembleia extraordinária a ser realizada na sua sede, no dia 10 de Agosto de 2019 às 10:00 em primeira chamada, e 10:30 em segunda chamada.

As ordens que serão tratadas são as seguintes na lista abaixo:

  1. LEITURA DA ATA DA ASSEMBLEIA ANTERIOR
  2. PASSIVO II E II – AGRIMEX E ITAPAGE S/A (SAL., 13º SAL. E FÉRIAS)
  3. DISSIDIO COLETIVO DE 2014 À 2019 (REAJUSTE SALARIAL)
  4. FGTS 2013 E 2019
  5. RETENÇÕES DO SINDICATO (SINPACEL)
  6. ASSUNTOS DIVERSOS
Edital de Convocação emitido pelo SINPACEL

Américo de Sousa: Sincronizado com a candidatura de presidente em 2022

Há uma grande chance de Jair Bolsonaro (PSL) enfrentar aquele que considera “o pior governador de paraíba” em 2022. Para Flávio Dino (PCdoB), a opção é não ser mais comunista de carteirinha na próxima eleição. Pois, ele sabe que vai precisar de um partido maior e portando já namora o PSB (Partido Socialista Brasileiro).

Nas útlimas elições (2018), o atual partido de Flávio Dino PCdoB (Partido Comunista do Brasil) não superou a chamada clausula de barreira. Só não ficará sem verba do fundo partidário e tempo de TV em 2022, devido uma fusão aprovada pelo TSE em maio deste ano (2019) com o PPL (Partido Pátria Livre).

Flávio Dino não pretende fazer a troca de partido agora, vai esperar até após as eleições municipais de 2020. Porém, como não gosta de deixar pontas soltas já começa a fornecer motivação e apoio ao partido dentro dos municípios, tudo a fim de futuramente colher o apoio e força do partido que visa ser o representante.

O PSB desde o fim da ditadura militar sempre esteve alinhado com o PT (Partido dos Trabalhadores), que inclusive foi vice na chapa do Haddad em 2018. Isso é favorável às pretensões de Flávio Dino, que já iniciou uma conversa com o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira. Flávio tem apoio total do presidente estadual do PSB do Maranhão, o tambem aliado político e atual prefeito de Timon, Luciano Leitoa.

Sincronia e conjunto

Nas eleições que se aproximam em nosso município, quando grupos políticos venderem a ideia que tem o apoio “político” do governador, duas perguntas devem ser feitas: O que o governador tem feito politicamente, e qual grupo de Coelho Neto tem se alinhado ao que ele tem feito?

Coincidentemente, essa semana recebemos a notícia de que Orlando Azevedo, ex-presidente do PPS coelhonetense, está prestes a se tornar o presidente do PSB em nosso município. O atual Secretário de Infraestrutura e Urbanismo do Governo Américo de Sousa (PT), não foi escolhido ao acaso, usou-se o critério da fidelidade política a Américo, e por ser o nome ideal para se tornar o mais novo elo de consolidação política entre Américo de Sousa, Flávio Dino e a família Leitoa.

Se olharmos sutilmente, é possível observar que Coelho Neto já se tornou parte num conjunto de engrenagens políticas que se movimentam a partir de uma maior. A cada passo estratégico que nosso governador tem dado na política, algo semelhante acontece no governo Américo, e acredite, nada é feito de forma independente ou unilateral, tudo acontece de forma sincronizada com o núcleo que dá suporte ao projeto político pensado pelo governador Flávio Dino para 2022.

A medida que o tempo passa, a eleições majoritárias de 2020 tem se tornado fácil de compreender. No que tange aos apoios políticos, já é possível vislumbrar qual grupo terá o apoio dos dirigentes mais importantes do nosso estado.

Posts Populares

Meus Favoritos

PARA CIMA PARA BAIXO

PARA CIMA POLÍCIA EM AÇÃO:A prisão em tempo record dos supostos envolvidos na chacina que aconteceu na madrugada de...

PARA CIMA PARA BAIXO