É a “velha política” em ação.
Mas, dessa vez, com uma diferença: um pai usando recursos públicos para ajudar o filho. No caso, Jair Bolsonaro quer evitar a derrota no Senado na indicação de seu filho Eduardo para a embaixada em Washington. Há um sério risco de a indicação não se aprovada, refletindo as pesquisas da opinião pública. A Folha investigou a pressão de Bolsonaro e viu a distribuição de favores, em parceria com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

Trecho da reportagem da Folha:

Nas últimas semanas, Bolsonaro fez uma série de gestos ao presidente do Senado e aos parlamentares. Destravou a indicação de cargos e prestigiou dirigentes de partidos que têm assento na Casa. Alcolumbre, por sua vez, tem dito que vai dividir com os colegas as vagas que puder indicar.

Papel passado Deputados e senadores devem concretizar nos próximos dias a indicação de aliados a postos de projeção regional. As nomeações de dirigentes da Codevasf e do FNDE couberam ao DEM. As do Banco do Nordeste, ao PP do Senado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui