A partir da alteração nas eleições do ano que vem que: proíbe coligações nas chapas proporcionais (Vereadores), os políticos com leveza no nome, os que tem pouco ou nenhum ponto de entrada para os ataques da velha política, já anteciparam seu calendário de articulações. Mesmo que de forma tímida e frágil, esses já costuram acordos, buscam os primeiros apoios e esquadrinham o entendimento sobre a importância das novas ferramentas tecnológicas que farão a diferença nas eleições de 2020.

A EXIGÊNCIA DE IDENTIDADE

A mudança faz parte da mesma reforma política que criou a cláusula de barreira ou cláusula de desempenho, vigorada nas eleições majoritárias de 2018. Ela estabeleceu regras mais duras ao acesso do fundo partidário e tempo de TV para os partidos, na prática essas regras juntas irão diminuir o número de partidos no país.

Sob a ótica dessas mudanças nas eleições de 2020, há uma clara exigência por candidatos e partidos com forte identidade política. Partindo desse ponto, os vereadores de mandato saem na frente, pois eles são bastante conhecidos por todos, tem influência dentro do seu partido, possui seus grupos políticos desenhados e poder para barganhar acordos com lideranças partidárias em nome dessa forte identidade política.

QUAL É SUA BANDEIRA?

Ter uma bandeira de luta é outro fator que transmite difusa imagem e identidade forte a um candidato.

Para exemplificar, usemos a bandeira da Municipalização do Trânsito de Coelho Neto. Defendida desde o primeiro mandato pelo experiente vereador Junior Santos do (MDB). O vereador sempre lutou pelo que era de competência do executivo e por isso utilizava-se de de indicações (pedidos). Após o seu segundo mandado defendendo essa bandeira, o vereador conseguiu ser ouvido pelo executivo, que enviou uma proposta de lei para a Câmara aprovar e concretizar a municipalização do trânsito de Coelho Neto.

Américo anunciando seu novo líder de governo na Câmara, Vereador Júnior Santos

PUXADORES DE VOTO

Como a transferência de votos ainda continua sendo permitida entre candidatos dentro do mesmo partido, há uma forte tendência que as lideranças partidárias invistam mais nos famosos, puxadores de votos ou naqueles candidatos novos com identidade forte, em outras palavras os nomes bons para 2020.

Em 2020 veremos pelo menos 3 bons nomes a frente de cada partido.

PARTIDOS GRANDES

Na iminência de mais partidos sumirem, devido a cláusula de barreira e o fim das coligações proporcionais, aqueles candidatos filiados nos grandes partidos terão muito mais chances de serem eleitos. Sentindo-se forçados a se manterem vivos e/ou do mesmo tamanho, tais partidos irão injetar recurso em zonas eleitorais importantes e em candidatos com boa tendência de vitória nas eleições de 2020. Para isso, vão contar com a maior fatia de divisão do fundo partidário justamente por serem grandes.

Com poucos partidos oferecendo as melhores chances de vitória e estrutura de campanha, a tendencia é que esses agreguem os melhore nomes. Qualquer partido organizado nesse sentido poderão definir a maioria das cadeiras na Câmara Municipal de Coelho Neto.

MENOS PARTIDOS

Temos hoje na Câmara Municipal de Coelho Neto oito representações partidárias (PROS, MDB, PSD, PPS, PT, PTdoB, PCdoB e PDT) ocupando treze cadeiras. Após as eleições de 2020, não mais que cinco partidos preencherão essas mesmas vagas na casa legislativa.

Por fim, ressalto que existem pelo menos três outros fatores que impactam na definição dos resultados nas eleições de vereadores em 2020, mas que só tratarei em outro artigo mais para frente. Porém dentre todos, é a identidade do candidato e do partido que vai definir o futuro das candidaturas e campanhas em 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui