Há uma grande chance de Jair Bolsonaro (PSL) enfrentar aquele que considera “o pior governador de paraíba” em 2022. Para Flávio Dino (PCdoB), a opção é não ser mais comunista de carteirinha na próxima eleição. Pois, ele sabe que vai precisar de um partido maior e portando já namora o PSB (Partido Socialista Brasileiro).

Nas útlimas elições (2018), o atual partido de Flávio Dino PCdoB (Partido Comunista do Brasil) não superou a chamada clausula de barreira. Só não ficará sem verba do fundo partidário e tempo de TV em 2022, devido uma fusão aprovada pelo TSE em maio deste ano (2019) com o PPL (Partido Pátria Livre).

Flávio Dino não pretende fazer a troca de partido agora, vai esperar até após as eleições municipais de 2020. Porém, como não gosta de deixar pontas soltas já começa a fornecer motivação e apoio ao partido dentro dos municípios, tudo a fim de futuramente colher o apoio e força do partido que visa ser o representante.

O PSB desde o fim da ditadura militar sempre esteve alinhado com o PT (Partido dos Trabalhadores), que inclusive foi vice na chapa do Haddad em 2018. Isso é favorável às pretensões de Flávio Dino, que já iniciou uma conversa com o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira. Flávio tem apoio total do presidente estadual do PSB do Maranhão, o tambem aliado político e atual prefeito de Timon, Luciano Leitoa.

Sincronia e conjunto

Nas eleições que se aproximam em nosso município, quando grupos políticos venderem a ideia que tem o apoio “político” do governador, duas perguntas devem ser feitas: O que o governador tem feito politicamente, e qual grupo de Coelho Neto tem se alinhado ao que ele tem feito?

Coincidentemente, essa semana recebemos a notícia de que Orlando Azevedo, ex-presidente do PPS coelhonetense, está prestes a se tornar o presidente do PSB em nosso município. O atual Secretário de Infraestrutura e Urbanismo do Governo Américo de Sousa (PT), não foi escolhido ao acaso, usou-se o critério da fidelidade política a Américo, e por ser o nome ideal para se tornar o mais novo elo de consolidação política entre Américo de Sousa, Flávio Dino e a família Leitoa.

Se olharmos sutilmente, é possível observar que Coelho Neto já se tornou parte num conjunto de engrenagens políticas que se movimentam a partir de uma maior. A cada passo estratégico que nosso governador tem dado na política, algo semelhante acontece no governo Américo, e acredite, nada é feito de forma independente ou unilateral, tudo acontece de forma sincronizada com o núcleo que dá suporte ao projeto político pensado pelo governador Flávio Dino para 2022.

A medida que o tempo passa, a eleições majoritárias de 2020 tem se tornado fácil de compreender. No que tange aos apoios políticos, já é possível vislumbrar qual grupo terá o apoio dos dirigentes mais importantes do nosso estado.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui